• w-facebook
  • YouTube ícone social
  • Instagram
  • Spotify ícone social
  • Spotify ícone social
  • Deezer ícone social
  • SoundCloud ícone social
  • w-youtube

B i o g r a f i a


” Conrado Paulino é um dos grandes arquitetos do violão brasileiro, acrescentando profundidade e beleza aos seus projetos (...) Ouvi-lo tocar sempre me dá inspiração”
Guinga

“Além de solista virtuoso, Conrado se destaca como um dos grandes arranjadores para violão (...) Sua obra nos brinda, simplesmente, com música instrumental brasileira da mais alta qualidade”
Paulo Bellinati


“...um músico fino e sofisticado, com sólido conhecimento harmônico e ideias muito originais para seus arranjos (...) tem grande intimidade com o violão, o que faz com que esses arranjos resultem sempre em música fluente e encantadora...”
Marco Pereira
 

 “...é como se Baden Powell encontrasse Joe Pass...”
Fábio Carrilho, revista Violão PRO


Estilo
 

Na original sonoridade do violonista, compositor e arranjador Conrado Paulino uma fina concepção musical une o balanço brasileiro, a linguagem e harmonia do jazz, e a energia da improvisação, resultando em arranjos surpreendentes e empolgantes, cheios de brasilidade e sofisticação. O músico destaca-se também pela sua moderna linguagem harmônica e pela equilibrada união entre virtuosismo e sensibilidade.
O seu estilo como violonista brinda uma excelente combinação de repertorio brasileiro, linguagem jazzística e recursos do violão clássico.
No repertório, Conrado Paulino apresenta um sério trabalho de escolha, resgate e recriação de temas e autores da MPB, intercalando essa produção com músicas de sua autoria.
Conrado se apresenta tanto como solista como com seu grupo, o Conrado Paulino Quarteto.


 

Carreira

Conrado acompanhou artistas de renome como Rosa Passos, Leny Andrade, Johnny Alf, Carlos Lyra, Claudete Soares, Alzira Espíndola, Adyel e Alaíde Costa, com quem gravou quatro CDs.
Como instrumentista, tocou com o Zimbo Trio, Paulinho Nogueira, Marco Pereira, Nivaldo Ornelas, Heraldo do Monte, Roberto Menescal, Lea Freire, Filó Machado, Nenê, Chico Saraiva e Vinicius Dorin, entre muitos outros.

Apresentou-se também com músicos estrangeiros como os norte-americanos Colin Bailey, Phil de Greg, John Stowell, Todd Isler, Dave Pietro, Harvey Winnapel e Mark Isbell, com quem gravou seu último CD, lançado em USA em março de 2016, atuando como violonista, compositor e arranjador. Também atuou com Jan de Haas, Anne Wolf e Henri Griendl (Belgica), Anna Luna e Jaume Vilaseca (Espanha), assim como instrumentistas de destaque no cenário jazzístico latino-americano como Diego Schissi, Quique Sinesi, Daniel Maza, Alejandro Demogli, Alan Plachta, Popo Romano e Oscar Giunta.

Escreveu arranjos para shows e CDs de Alaíde Costa, Silvia Maria, Mark Isbell, Keila Abeid, Marcia Mah e Jardel Caetano, entre outros artistas.


Além de participar em CDs de artistas de Brasil, USA e Uruguay, Conrado gravou cinco
CDs como líder: Quarteto (2005), Noches del Museo (2008), Wrong Way (2011), Quatro Climas (2015) e A Canção Brasileira (2018).
Em 2019 saiu o Volume 5 da série "Jazz & Coffee", CD em que participa com três músicas tocando em dúo com o guitarrista Nelson Faria. 
Participou também de três coletâneas de música instrumental: Brazilian Songs Without Words (2007), Cem Anos de Caymmi (2014) e O Fator Guanabara: Canções para um Brasil Ideal (2016), todas lançadas pelo selo Tratore. 

Algumas das suas composições figuram no álbum Real Book Brasil (a versão brasileira do maior e mais conhecido álbum de música instrumental do mundo), no Volume I da série “Repertório para la practica de la música brasileña”, da ALAEMUS (Asociacion Latinoamericana de Escuelas de Música) e no Volume 4 da série Brazilian International SongBook, publicado pela Funarte, órgão federal vinculado ao Ministério da Cultura.

Apresentou-se em vários Festivais, entre eles a 12a edição do BarranquiJazz (Barranquilla, Colombia), evento que contava com artistas como Ron Carter e Arturo Sandoval; o Festival Guitarras del Mundo de Argentina (XII e XIV edições), fazendo concertos em dez cidades;  o II MI Fest (Montevideo, Uruguay), o XII Festival Internacional do Violão Dilermando Reis (Guaratinguetá, SP) ; o IX Festival de Violão da UFRGS (Porto Alegre, Brasil); o 8° Festival de Música de Itajaí, SC ;  III Festival de Violão de Teresina (PI, BR), I Mostra Internacional de Belo Horizonte (MG), Seminário de Violão de Itajaí (SC) (III e VII edições), 35° Civebra (Brasília, DF); o I° Festival Acústico-IVT de Violão, o Festival Música na Ibiapaba (CE) (2004, 2005, 2006, 2018 e 2019); o Iº Festival História da Guitarra (São Paulo, SP); o III Encontro de Cordas na Mantiqueira (São Francisco Xavier, SP) e a Mostra Toque de Mestre do CCSP (Centro Cultural Vergueiro, São Paulo)
Como solista de violão, Conrado apresentou-se em várias cidades do país, assim como em cidades da Argentina, Uruguay, Colombia e Cuba.

O seu trabalho mereceu verbetes no Dicionário Cravo Albin da Música Brasileira, na enciclopédia eletrônica Músicos do Brasil e no site norte-americano All About Jazz.
Em 2019 a revista norte-americana Fingerstyle Journal publicou uma entrevista de nove páginas sobre sua música e estilo. 
Há também artigos sobre o seu trabalho em sites especializados de Brasil, Estados Unidos, Japão, Itália e Argentina.

Professor de trajetória reconhecida, entre seus ex-alunos se encontram nomes de destaque do cenário nacional como os compositores Chico César e Eduardo Gudin,  o guitarrista Tomati (Programa do Jô), os bluesmen Nuno Mindelis e Lancaster, Camilo Carrara (Zizi Possi, prof. da Faculdade Cantareira), Fernando Corrêa (Orquestra Jazz Sinfônica do Estado e prof. da Faculdade Sta. Marcelina), Paola Pichersky (integrante do grupo Choronas e profa. das faculdades FAAM e Santa Marcelina), o baixista Sérgio Carvalho (Djavan, Pedro Mariano e outros artistas), Emerson de Paula (Leci Brandão, Fundo de Quintal) e Júlio César Fejuca (Sambô).

Ministrou cursos de violão, improvisação e harmonia em vários Festivais - entre eles os dois mais importantes do país: o Curso Internacional de Verão de Brasília (CIVEBRA) e a Oficina de Música de Curitiba, além do Festival de Violão da UFRGS, o Festival de Música de Itajaí (SC) (4 edições), o Festival de Música de Ourinhos (SP), o II Festival de Violão de Teresina, o III e VII Seminário de Violão de Itajaí (SC) e o Festival Música na Ibiapaba (CE) (5 edições).
Foi também professor e um dos coordenadores da fase de Música Popular do FIMUCA, festival de oficinas online organizado pela UFRN e que contou com 18.000 inscritos.
Realizou Workshops e Master Class na Universidade Federal do Cariri (UFCA,CE), na Universidade Estadual de São Paulo (Unesp, SP), na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, RS), na Faculdade FAAM (SP), na Universidade de la Republica (Montevideo, Uruguay), na Universidad Nacional de las Artes (UNA, Buenos Aires, Argentina) assim como nas principais escolas do país (ULM, EMT, Souza Lima/Berklee, CLAM, CEM-Sesc, CdM Sesc Guarulhos) e também em várias cidades brasileiras, entre elas Juazeiro do Norte (CE), Arapiraca (AL), Teresina (PI), Londrina (PR), Viçosa (CE), Itajaí (SC), Porto Alegre (RS), Amparo, Orlândia, Sorocaba e Araraquara (SP), além de Master Classes nas cidades de Buenos Aires, Bahia Blanca, La Plata e Córdoba (Argentina), Barranquilla (Colombia)  e Montevidéu (Uruguay).

A convite da UNICAMP participou da equipe que organizou, segundo convênio com a Prefeitura de Itajaí (SC), o Conservatório Municipal de Itajaí, sendo responsável pela organização do curso de Violão e de Guitarra, assim como da seleção dos professores no concurso público.
Formavam parte da equipe professores-doutores notáveis da Unicamp, entre eles Rafael dos Santos, Hilton Valente, Regina Machado e Mário Campos.

 
Foi consultor do Projeto Guri-AAPG da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, organizando o curso de guitarra do projeto e dando assessoria para a implantação do mesmo.
Foi consultor também do Projeto GURI-Sta Marcelina da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ministrando cursos de capacitação para os professores do projeto.

É autor de dezenas de artigos e lições publicadas pelos meios especializados como as revistas Acústico, Violão PRO, Guitar Class e Guitar Player, da qual foi editor técnico e colunista.

Conrado Paulino tem também sete métodos publicados (três de improvisação, dois de harmonia e dois de arranjos) distribuídos a nível nacional pela FreeNote e Musimed.
Foi também membro da IAJE (International Association for Jazz Education) de 2000 até 2009, ano do seu encerramento.

De 2001 a 2007 foi professor da Universidade Livre de Música do Estado de São Paulo (ULM-Tom Jobim), atuando como professor do curso de Violão e das disciplinas Técnicas de Acompanhamento e Improvisação para Violão, além de atuar como professor correpetidor do curso de Canto.
Em 2008 a ULM passou a chamar Escola de Música do Estado de São Paulo (Emesp). Conrado permaneceu na instituição até 2015, ministrando os cursos de Harmonia, Violão e Guitarra.

Atualmente, Conrado Paulino ​se apresenta como solista e com o seu Quarteto, além de acompanhar artistas, entre eles a lendária a cantora Alaíde Costa. 


 

© 2023 por Música Clássica. Orgulhosamente criado por Wix.com